sexta-feira, 3 de julho de 2015

Off-Topic (21)

No dia em que se noticia que ninguém menos que Al Pacino é fã da seleção argentina de futebol, e que uma jornalista brasileira (novamente) sofre todos os tipos de ataque com cunho racista, resulta curioso lermos uma postagem como esta no já citado blog Transmissões.

Eles defendem que os brasileiros que torcem pela Argentina "são, em geral, supremacistas étnicos enrustidos". Vão mais longe: aqueles que afirmam torcer pela seleção de futebol do país vizinho o fazem porque não podem insultar negros à vontade.

Sim, é esse o cálculo que eles fazem. Psicopatia social em estado alarmante.

"Seu sonho era poderem insultar negros - sobretudo os negros de seu país - o quanto quisessem, como quisessem, da maneira que quisessem.

Infelizmente, não podem. (...) O que lhes resta? Apoiar aqueles que berram. E manter o sonho de poder agredir negros à vontade.

Escondem isso sob a capa de uma preferência pessoal pela seleção argentina
".

Vai ver Al Pacino é racista, também -- ou então aqueles que atacaram Maria Júlia são todos integrantes de alguma "Torcida Organizada da Argentina no Brasil".

Em tempo: comentário postado na notícia sobre a preferência de Al Pacino:
eduardo (17h05)
era um grande artista. errou ao se casar com uma argentina e publicar isso.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Muito Além do Futebol... (102)

No seriado Malhação, há dois grupos rivais: um comandado pelo mestre Gael -- que emula o sofrimento, a superação, o alvo de injustiça, sempre fazendo o bem; o outro, comandado pelo mestre Cobra -- que emula a sacanagem, a trapaça, o fingimento, a prepotência.

Os líderes dos times vão se enfrentar. Antes da luta, Cobra coloca sonífero na água de Gael. Quando os dois se cumprimentam antes do combate, Cobra fala em não ter como haver respeito na luta entre os dois, que ali "é Brasil e Argentina".

Gael ironiza: "você se comparando à Argentina, um país tão bonito?!". Claro: afinal, ele é Brasil, pois representa o bem, a vitória, a justiça...

O Bem contra o Mal - ou, Brasil X Argentina
A cena completa pode ser vista clicando aqui.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Raça X Nacionalidade (98)

Parte 1: "...Tudo que fazia era de ruim. Até acho que sou afrodescendente, de tanto que apanhei. Os caras olham e batem... "

Parte 2: "Quero me desculpar com todos que possam se sentir ofendidos com a minha declaração sobre os afrodescendentes. A maneira como me expressei não reflete os meus sentimentos e opiniões".

Disse Dunga, o técnico da seleção brasileira de futebol.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Muito Além do Futebol... (101)

Edição da última segunda-feira, 09/03/2015, do programa CQC, cobrindo o confronto Brasil X Argentina na Copa Davis:

terça-feira, 10 de março de 2015

Raça X Nacionalidade (97)

Cena que foi ao ar semana passada (dia 02/03/2015), da novela "Império", da Rede Globo -- confira o capítulo na íntegra clicando aqui.

Severo (Tato Gabus) e Magnólia (Zezé Polessa) estão passando por grave crise financeira. A solução? Colocar Noely (Laís Pinho), a jovem que foi "adotada" por eles, para prostituir-se.

Segue diálogo:

- Tu vai botar ela para trabalhar na rua, Severo?!
- Chegamos a cogitar isso, mas ficar se espremendo com piranhas e travecos ali na Avenida Atlântica não ia dar retorno a curto prazo mesmo.
- O que tu vai fazer com a menina, então? Vai vender como escrava branca? Isso vai dar cadeia.
- Sabia que tem um senhor generoso que está nesse exato minuto pensando na Noely, doido para conhecer a menina e, de quebra, ajudar a gente?
- Tem? Quem é?
- Ainda não sabemos, mas vamos achar! Vou botar a Noely para circular por aí até encontrar este homem bom, padrão comendador. Nem precisa ser tão rico. Pode ser gringo, tem italiano... só não pode ser argentino (risos)!
Quer se prostituir? Tudo bem! Só não pode ser com argentino...

Como diz o ditado brasileiro, "perguntar não ofende": E se o personagem de Tato Gabus dissesse 'pode ser gringo, tem italiano... só não pode ser negro!'

segunda-feira, 9 de março de 2015

Duetos (98)

O que valeu mesmo do confronto Argentina X Brasil na Copa Davis foi a qualidade do Tênis jogado e, sobretudo, a raça e a dedicação demonstradas pelos atletas de ambas as equipes.

Juan Martín del Potro, maior nome do tênis argentino atual, não pode participar da competição pois já há muito vem sofrendo com lesões.

Porém, não deixou de apoiar a equipe. Em sua página oficial no Facebook, falou da alegria que foi ver a vitória. Muitos leitores brasileiros deixaram mensagens para o atleta, sempre de forma respeitosa. E os argentinos responderam no mesmo tom.

Felipe Toledo Martins Baccetto Parabéns, Argentina! O melhor confronto de Copa Davis que assisti na minha vida! Qualquer um que vencesse seria merecedor, foram disputados grandes jogos com muito respeito entre os times!
Curtir · Responder · 50