quinta-feira, 17 de abril de 2014

Propagandas (67)

Novo comercial da marca Havaianas. Tema: Copa do Mundo. Personagens: Romário e Maradona.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Isso é Jornalismo? (52)

O garotinho da foto ao lado tem 10 anos de idade e se diz torcedor da Ponte Preta. Seu nome é Henrique Cubero Regi. Veste a camisa do Chelsea FC, da Inglaterra, e já está colecionando o álbum da Copa do Mundo, como se vê. Na imagem, temos as páginas onde está localizada a seleção da Argentina. Não é photoshop: as figurinhas dos jogadores foram coladas de cabeça para baixo.

Henrique afirma que fez isso somente com os argentinos, porque quer "secá-los" para eles "se darem mal no mundial": "Eu estou torcendo para eles caírem logo na primeira fase. Mas se passarem, que pelo menos não deem trabalho para o Brasil conquistar o hexa".

Você deve estar se perguntando: "pô, nada a ver o blog falar disso, é algo completamente irrelevante."

E você está certo! Mas, acredite ou não, essa "notícia" foi destaque no GloboEsporte.com. Manchete: "Anti-hermanos cola argentinos de ponta-cabeça no álbum para dar azar"

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Duetos (74)


Confiram a matéria "O que Maradona pensa dos jogadores brasileiros?", do portal UOL.

Como única ressalva, a frase sobre Ronaldo foi muito pontual, da época. Basta ver o relacionamento do mesmo com Diego. Também houve outros encontros amistosos e respeitosíssimos de Maradona com selecionáveis.

Em tempo: Parabéns, UOL!

domingo, 13 de abril de 2014

Raça X Nacionalidade (77)

Sempre consideramos lamentável quando acontece algum tipo de crime racial. O futebol, ultimamente, tem sido o maior 'veículo' de propagação desse tipo de atitude. Quando ocorre com torcedores, é algo terrível.

Na última quinta-feira (10), em Curitiba, aconteceu um caso de injúria racial no jogo Paraná Clube X São bernardo: torcedores do time paranaense ofenderam o jogador Marino, do clube Paulista. Confira aqui a matéria completa do jornal Gazeta do Povo, o maior do estado do Paraná.

Marino registrou boletim de ocorrência
"Quando tomei cartão vermelho, ouvi torcedores me chamarem de macaco e gorila. O segurança do Paraná viu e foi atrás, mas o torcedor fugiu. É lamentável que isso aconteça no futebol, ainda mais no Brasil com maioria negra", disse Marino.

Outro caso ocorreu com Neymar, na Espanha, no último sábado. O craque brasileiro foi ofendido por torcedores do Barça quando os integrantes da equipe retornavam ao centro de treinamentos:


Repetimos: lamentável, triste e condenável. Mas quando isso parte de profissionais da imprensa, deixa de se ter qualquer tipo de justificativa a respeito do "calor do momento" ou até mesmo da "vontade de desestabilizar".

Foi o que aconteceu hoje, na final do Campeonato Paranaense: o "jornalista" Lourival Santos, do SBT-Paraná, ofendeu o jogador Maicon, do Londrina, após o lateral ter marcado o primeiro gol de sua equipe diante do Maringá, time da cidade onde Lourival atua(va).

Lourival Santos foi detido

sábado, 12 de abril de 2014

Muito Além do Futebol... (83)

Ontem à noite, no porgrama SPORTV Tá na Área, foi dada a notícia sobre um festival de cinema (de curtas-metragem) nos EUA em que o tema é produções sobre futebol.

A película "A Promessa de Gerônimo" é brasileira e tem como tema a seguinte trama: dois amigos brasileiros estão indo ao Maracanã para assistir a final da Copa do Mundo entre... Brasil e Argentina. A matéria fala que, no curta, os dois brazucas terão de contar com a ajuda de um argentino para conseguir chegar ao local, uma vez que o carro quebra.

Ficamos contentes: de repente seria uma forma de falar sobre como há coisas maiores que o futebol.

Porém, procurando pela película na net, encontramos um trecho do filme...



PS: apesar do ridículo estereótipo, esse não é o "argentino" que irá ajudar os brasileiros: haverá um outro, interpretado por Carlos Garcia, conforme o trailer do filme.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Muito Além do Futebol... (82)

A imagem acima é de peças produzidas pela linha de camisetas de Sergio K: a ideia é "incentivar" os brasileiros a provocar os rivais. Além dos insultos a Messi e Maradona, há outras "homenageando" Balotelli, Zidane e Cristiano Ronaldo.

Segundo matéria da revista RollingStone, as mensagens presentes nas camisetas foram acusadas de serem homofóbicas ("Cristiano Ronaldo is gay", diz uma delas).

A proposta, descrita na promoção das camisetas, foi bem clara: "Que tal cutucar os argentinos com uma frase provocativa estampada numa camiseta desconfiando da masculinidade de Maradona?"

Confira reportagem da Folha de S. Paulo, sobre a infeliz campanha.

sábado, 5 de abril de 2014

Isso é Jornalismo? (51)


Além dos nomes lembrados por Galvão Bueno, ainda poderíamos citar Mauricio Pochettino, que faz bom trabalho à frente do SouthHampton, na Liga Inglesa. Historicamente, Helenio Herrera (bicampeão europeu pela Inter de Milão nos anos 60), César Luis Menotti (técnico do Barcelona no início dos anos 80) e Jorge Valdano (campeão espanhol pelo Real Madrid nos anos 90) se destacaram.Dentre brasileiros, o maior trabalho historicamente foi o de Otto Glória, com a seleção portuguesa e o Benfica, nos anos 60. Recentemente, Luiz Felipe Scolari teve um trabalho relevante pela seleção lusitana entre 2003 e 2006, e Leonardo realizou um grande trabalho como dirigente no Milan, mas os dois - além de Wanderley Luxemburgo, no Real Madrid - tiveram a oportunidade de treinar times de ponta na Europa, sem sucesso.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Propagandas (66)

Comercial da cerveja "Conti" para a Copa do Mundo...

Se formos parar e fazer uma estatística, talvez cheguemos à seguinte conclusão: de cada 10 comerciais brasileiros em época de Copa, pelo menos oito falam de argentinos(as)/Argentina. É absolutamente impressionante. Cada comercial que este blog encontra, postamos aqui. E toda vez nos vemos repetindo isso. Bem, talvez não seja necessário dizer que "o sol é quente" ou que "na Inglaterra eles falam inglês".

Mas antes de tudo, vale uma reflexão: a publicidade é o radar do consumidor; logo, se agências e empresas insistem tanto numa mesma fórmula para promover seus produtos, é porque ela é bem recebida pelo público; logo, o público não vê problemas nisso - nem na sua repetição eterna.


Em tempo: por que a argentina pode ser tratada como "objeto sexual" livremente enquanto que ações semelhantes por parte de outros países se tornam caso de interferência governamental?

PS: vale reler essa postagem, da Copa de 2010. Como se vê, passados quatro anos, nada mudou...

sexta-feira, 28 de março de 2014

Propagandas (65)

Novo comercial da TAM para a Copa do Mundo.

O título? "Catimba". O tema? Todos têm medo de nós, afinal, nós somos os melhores...

quinta-feira, 27 de março de 2014

Duetos (73)

Recomendamos o blog "Um Brazuca em Buenos Aires": com cinco brasileiros residentes em BsAs como autores (Wilson Berger Júnior, Kako Pereira, Priscilla Barreto, e o casal André e Thalissa), a página dá diversas dicas - não apenas de turismo - para os brasileiros que queiram visitar e eventualmente viver na capital argentina.

Parabéns, WIlson, Kako, Priscilla, André e Thalissa pela iniciativa!

O texto que indicamos tem tudo a ver com nosso blog.

//

Brasileiros, sofrem ou não preconceito na Argentina ?

Preconceito nada mais é do que ter um conceito antecipado de determinada situação ou pessoa, porém neste caso atribuímos este adjetivo no sentido discriminativo.
Mas afinal de contas, nós brasileiros somos ou não discriminados em Buenos Aires?
Quem nunca ficou na dúvida se a rivalidade do futebol Brasil X Argentina vai alem ou não dos estádios fervorosos?!
Bom, em qualquer lugar do mundo encontraremos pessoas preconceituosas, afinal é uma característica totalmente humana, embora desagradável foi uma forma encontrada por nossa espécie de nós protegermos antecipando determinadas situações.
Bom mais até aí nada respondido!
Então vamos lá, vamos entender um pouco antes de realmente termos nossa resposta, Buenos Aires é uma cidade com mais de 12 milhões de habitantes em sua região metropolitana, no qual é composta por diferentes nacionalidades, muitos veem em busca de trabalho, afinal já foi está uma das maiores potências econômicas mundiais e por que não dizermos um lugar de oportunidades.  Sem muita estrutura e com poucas qualificações muitos dos estrangeiros acabam que ficam a mercê da ociosidade acabando que veem a cometer delitos fazendo com que para os Portenhos, estatisticamente estrangeiros sejam sinônimos de “encrenca” gerando assim preconceito para com Peruanos, Bolivianos, Colombianos, Paraguaios, Chilenos e demais da America hispânica.
E o Brasil?
Felizmente o país do futebol e do carnaval, como é visto pelos estrangeiros, é um país no qual tem enorme receptividade na capital de “los hermanos”, com o despontar econômico brasileiro, há chegando muitos compatriotas “Brazucas” diariamente para fazer turismo ou até mesmo para morar aqui na Argentina, automaticamente somos assimilados a futebol, praia, festa e gente bonita, o que faz com que muitos Argentinos tentem o “portunhol” para poder interagir conosco.
Não podemos dizer que os brasileiros não irão passar em determinado momento por algum constrangimento, porém para que isso aconteça não é necessário ir para outro país, basta mudar de cidade ou até de bairro ai mesmo no Brasil para que isso ocorra afinal como mencionado acima, é algo do ser humano e não de “determinada nacionalidade”.
Porém não espere que chegando aqui seja “carregado no colo”, para quem já está acostumado com o modo de agir dos Argentinos, consegue distinguir que o Brasileiro é recebido com carinho, entretanto este carinho é feito na mistura de um povo que fala o espanhol, mas tem forte influencia italiana, falando de maneira direta, em bom e alto tom, se expressando com as mãos e se fazendo entender muitas vezes como sendo agressivo. Isso é cultural e deve ser respeitado.
Tirando essas peculiaridades no qual fazem parte do intercâmbio cultural, somos bem vistos por aqui, vale a pena conferir.

terça-feira, 25 de março de 2014

Off-Topic (11)

A Revista Bula publicou o texto "Top 5 de mentiras do país do futebol", cuja autoria é de um dos criadores deste blog. O artigo elenca 5 afirmações criadas com a ideia de se (super)valorizar o Brasil e os brasileiros. Mas nenhuma delas resiste a uma análise realmente cuidadosa e imparcial.

O texto mencionou várias fábulas criadas ao longo do tempo, mas discorreu sobre cinco delas:

Tom & Vinícius: autores da 58ª canção mais executada
No campo das contribuições para a humanidade: Santos Dumont inventou o avião;

No campo da língua, literatura e ciências: A palavra "saudade" só existe em português;

No campo do futebol: Pelé é o maior goleador da história do esporte;

No campo da religião: O Brasil é o maior país católico do mundo;

No campo da cultura popular: "Garota de Ipanema" é a segunda canção mais tocada da história;

Aproveitamos para citar outros dois mitos que também são bastante difundidos e não podem ser contestados:

Sobre a geografia: O Rio Amazonas é o maior do mundo;

Sobre contribuições no esporte: Leônidas da Silva é o inventor da "bicicleta"

Você já tinha ouvido falar de todas essas "histórias"? Acreditou nalguma delas?... Pois todas elas são falsas, ou no mínimo (muito) distorcidas.

O texto não deixa de lembrar que, paradoxalmente, "junto a essa lorota toda, temos outro mito: os argentinos acham que são os melhores e maiores em tudo."

Propomos aqui informações semelhantes a respeito dos hermanos:

   Che Guevara: a foto mais reproduzida de sempre
No campo das contribuições para a humanidade: O marcapasso foi desenvolvido pelo cardiologista argentino René Favaloro;

No campo da língua, literatura e ciências: A Argentina é o país latino-americano que mais venceu Prêmios Nobel (dois da Paz, dois de Medicina e um de Química);

No campo do futebol: Lionel Andrés Messi entrou para o Guiness Book como o jogador que mais marcou gols em um ano na história do esporte;

No campo da religião: O primeiro Papa não europeu de todos os tempos é argentino;

No campo da cultura popular: A clássica foto de Che Guevara é a mais reproduzida da história;

Sobre a geografia: O "Río de la Plata" é considerado o mais largo do mundo, chegando a medir 90 km entre suas margens;

Sobre contribuições no esporte: Guillermo Vilas é o inventor do "Gran Willy", um dos golpes mais difíceis e celebrados do tênis.

Nesse caso, se tratam de fatos, não de mitos. No fim, talvez os argentinos "se achem tanto" por estarem falando a verdade. Afinal, ser humilde é inventar coisas sem nexo. E repetir, repetir, repetir...


leia também: "Top 6 mentiras sobre o futebol brasileiro que você precisa parar de repetir"

segunda-feira, 24 de março de 2014

Muito Além do Futebol... (81)

Muito já foi dito sobre como o Brasil vende(u) imagens: país onde ninguém se preocupa com nada, é uma alegria eterna, mulheres maravilhosas, paisagens deslumbrantes e futebol a cada esquina. Tudo bem, tudo legal.

Aí a FIFA lança em sua revista semanal, a "FIFA Weekly", uma matéria ASSINADA POR DOIS BRASILEIROS (Flávia Lopes Sant'Anna e Thomas Rengali). O título: "Brazil for beginners" - ou "Brasil para iniciantes".

Reação do governo: pedir para tirar do ar o conteúdo, pois este é ofensivo à cultura brasileira, e ainda incentiva o turismo sexual (na imagem que ilustra o texto - abaixo -, aparecem duas mulheres de biquíni, deitadas de bruços).

Matéria da FIFA dá dez dicas para que o turista "se dê bem" no Brasil
Eis as dez orientações sugeridas na matéria

1 – Sim não significa sempre sim: é a entonação da voz que define se o sim é realmente um sim, ou um talvez. Por isso, “não espere o telefone tocar nos próximos cinco minutos” se um brasileiro dizer “te ligo na sequência”.

2 – O tempo é flexível: não espere que o brasileiro seja pontual. “Se duas pessoas marcam de se encontrar às 12h30, elas vão se ver a partir das 12h45″.

3 – Contato corporal: brasileiros não estão acostumados com o jeito dos europeus de se manter educadamente uma distância entre um e outro. Eles falam usando as mãos e não vão hesitar em tocar na pessoa com quem estão falando.

4 – Filas: Esperar pacientemente numa fila não está no DNA dos brasileiros, que preferem cultivar o caos.

5 – Sobrevivência das maiores: nas ruas, os pedestres são ignorados, e mesmo na faixa de pedestres, raramente um motorista vai parar.

6 – Controle-se: se você vai a um restaurante de churrasco em que você pode comer à vontade e quer imediatamente pegar o menu de carnes, lembre duas coisas: não comer pelo menos 12 horas antes da refeição e consumir em pequenas doses, pois a melhor carne é servida geralmente por último.

7 – Experimente açaí: dizem que tem os mesmos efeitos de uma bebida energética.

8 – Fazer topless: corpo nu e arte em um corpo feminino podem ser vistos no Carnaval, mas você não vai ver isso todos os dias no Brasil. Os biquínis no Brasil possuem menos tecido em relação aos da Europa, mas eles ainda são usados o tempo todo. Curtir a praia sem biquíni é proibido e pode resultar em multa.

9 – Sem espanhol: o idioma nacional é o português. Se você falar que Buenos Aires é a capital do Brasil você pode ser deportado.

10 – Tenha paciência: no Brasil, as coisas são feitas nos últimos minutos. Isso vale até para os estádio. E se tem uma coisa acima de todas que um turista deve se lembrar, é não perder a paciência e segurar os nervos. Uma atitude brasileira para resumir isso é: relaxa e aproveita.

Numa análise fria, dificilmente se pode apontar alguma inverdade nas afirmações: e lembrando, foram dois jornalistas com, digamos, "conhecimento de causa" que elaboraram o guia. Apesar da imagem principal, sugerir que haja incentivo ao turismo sexual talvez seja algo exagerado se lermos com cuidado o item 8.

De todo modo, parece que a única dica (além do item 7, onde simplesmente é sugerido que se experimente uma fruta típica do local) que não demandou alguma retratação foi a de número 9: na boa matéria de Rodrigo Mattos, onde é dada a notícia do pedido de retirada da  matéria feito pelo governo brasileiro, a dica a respeito de Buenos Aires sequer é mencionada.

Curiosamente, no último sábado foi ao ar uma reportagem do Jornal do SBT entrevistando pessoas a respeito do conteúdo exposto pela revista da FIFA: todos "entenderam", e mesmo concordaram. A edição fecha citando a dica relacionada aos argentinos. Edelimir Ferreira resume o pensamento brazuca: "O cara tá ficando doido... Argentino, meu, que é isso?!"

Argentino é a *%#$&!!!
É bom lembrar, também, que essa NÃO É A PRIMEIRA VEZ em que dicas sobre não mencionar a Argentina são incluídas nesse tipo de "manual", quando se fala do Brasil: nas Olimpíadas de 2012, ocorrida em Londres, era feito um alerta: não fale sobre argentinos com os brasileiros.

Atualização de 25 de março: confira o texto/video "Jornalista alemão defende a matéria da FIFA sobre brasileiros: 'a verdade dói'".